Barreiras da Logística Reversa de Óleos Lubrificantes: uma
avaliação utilizando a Análise Hierárquica de Processos

Nome: Indiana Caliman Comper
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 04/09/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Gisele de Lorena Diniz Chaves Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Ana Paula Meneguelo Examinador Interno
Gisele de Lorena Diniz Chaves Orientador
Maria de Fatima Pereira dos Santos Suplente Interno
PATRICIA GUARNIERI DOS SANTOS Examinador Externo
Sandra Mara Santana Rocha Examinador Externo

Resumo: Os óleos lubrificantes, após certo período de uso, perdem suas características iniciais, tornando-se necessária sua substituição, e recebem então o nome de Óleo Lubrificante Usado ou Contaminado (OLUC). A grande preocupação com a correta destinação deste resíduo após o uso, enfatizaram a necessidade de alternativas para tornar ambientalmente eficiente o ciclo de vida deste produto. No Brasil, legalmente, a única destinação adequada do OLUC é a recuperação das propriedades iniciais e reutilização por meio do rerrefino. Para que isto ocorra de forma eficiente e satisfatória, todo um sistema de logística reversa precisa funcionar. Porém, existem uma série de barreiras que comprometem a plena realização da logística reversa do OLUC, e
consequentemente sua destinação adequada. Por meio de uma minuciosa revisão bibliográfica e análise documental, foram identificadas barreiras políticas (falhas na legislação, evolução das metas de coleta, abrangência da fiscalização e destinação ilegal do OLUC), barreiras de infraestrutura (dimensões geográficas do brasil, infraestrutura de transporte ineficiente, abrangência da rede coletora e quantidade e distribuição geográfica das rerrefinarias), barreira de mercado (incertezas na qualidade do OLUC retornado) e barreira socioambiental (falta de consciência sobre a logística reversa do OLUC / questões comportamentais e sociais). Com base nas barreiras identificadas foi então construída uma Árvore de Realidade Atual (ARA) para representar a relação de causa e efeito entre as barreiras. Apontando que as possíveis causas raízes para a dificuldade na operacionalização da logística reversa do OLUC são, a falta de consciência sobre a logística reversa do OLUC, as dimensões geográficas do Brasil e as falhas na legislação. Por fim foi realizada uma Análise Hierárquica de Processos (AHP) que identificou que a abrangência da rede coletora é a barreira que mais compromete a logística reversa do OLUC, na análise de especialistas e pesquisadores, indicando que a principal medida a ser tomada para a melhoria da logística reversa do OLUC é que a rede coletora no Brasil, se expanda por todas as cidades brasileiras e contemple todos os pontos geradores de OLUC.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910